Vou explicar com um exemplo real. O Banco Maré é uma fintech criada em 2016 para atender moradores das 17 regiões que formam o Complexo da Maré, no Rio de Janeiro, onde não há agências bancárias.

Mais de 200 mil pessoas começaram a poder comprar no comércio local e fazer pagamentos e transferências pelo app da empresa. Outras milhares, de outras regiões desfalcadas de atividades bancárias, também já estão sendo beneficiadas.

Em contrapartida, a empresa ganhou destaque, processos de aceleração do Facebook e da Artemísia, em parceria com o Sicoob, crescimento para outras regiões do país e, hoje, estuda criar uma bolsa de valores para investimento em empresas de impacto social.

De um lado, inclusão digital e financeira, e resolução de problemas práticos da vida. Do outro, lucro para empresa, fortalecimento do ecossistema e abertura de velocidade de crescimento para novos negócios.

No caso de empresas já consolidadas, como o Sicoob neste exemplo, o fluxo positivo é o estabelecimento de parcerias com empresas especializadas em seus mercados, o que gera, além do já citado fortalecimento do ecossistema, agilidade na entrega do serviço e resultados melhores, por conta da especialização.

Vantagem para as empresas

Na ponta do lápis, parcerias estratégicas são muito lucrativas. Produzir tudo dentro de casa custa bastante – equipe, infraestrutura, equipamentos, tecnologias e capital intelectual.

Contar com um parceiro especializado permite, também, que novos públicos sejam alcançados. Voltando ao exemplo: quando o Sicoob topou fazer a parceria com o Banco Maré, pode atingir uma quantidade enorme de novas pessoas, que se tornaram novos clientes.

Se considerarmos os dados do Banco Central do ano passado, em que 86,3% da população adulta tem algum relacionamento com o sistema bancário, ainda há um universo de 22,1 milhões de brasileiros adultos sem acesso a serviços financeiros que estão esperando por serviços como o do Banco Maré em parceria com o Sicoob.

Novamente, a conta fecha no positivo para todos.

Vantagem para os usuários

Para os usuários e cliente, as parcerias entre empresas e serviços especializados significam novas soluções para problemas cotidianos. É o determina o sucesso de um negócio. Inclusão digital e financeira, acessos a serviços como cartão de crédito (Nubank) e transporte (Uber), delivery de comida (iFood), por exemplo.

As possibilidades são infinitas, tanto de problemas cotidianos, como de soluções. E, basicamente, quem está buscando estas questões mais práticas são as empresas novas, as startups, as empresas especializadas (35% das fintechs brasileiras estão voltadas aos desbancarizados, por exemplo). E nada melhor para uma empresa grande do que captar a visão inovadora de uma nova empresa especializada, e para uma startup, é fundamental o respaldo e o investimento das grandes corporações.

Tem interesse em mais conteúdos como este? Preencha o formulário abaixo para receber em seu email: