A crise ocasionada pelo coronavírus, enquanto afeta negócios de maneira negativa, impulsiona outros. Este é o caso das empresas de delivery, que tiveram alta recente, principalmente, por conta das recomendações de isolamento social. 

Só para você ter uma ideia, de acordo com informação divulgada pela Exame, a Rappi chegou a registrar uma alta de 300% no número de pedidos. Para lidar com este aumento repentino, surge a demanda da parceria com novos entregadores. O iFood, por exemplo, aumentou sua base em 23 mil, de fevereiro para março. 

A dinâmica do mercado gera uma movimentação dos dois lados para formar essa parceria: de um lado, os aplicativos precisam de novos profissionais para suprir a demanda de pedidos; do outro, vemos uma movimentação de pessoas que perderam seus empregos por conta da crise e precisam de uma nova fonte de renda. 

É difícil saber como esta bolha de crescimento vai se comportar e qual será o impacto dela no mercado de delivery no Brasil, mas tenho o palpite de que as mudanças de hábito do consumidor devem afetar permanentemente os números gerais dos apps. 

O pagamento aos entregadores

Tanto em pedidos no iFood, quanto no app Rappi, foi percebido o aumento de gorjetas dadas pelos consumidores aos entregadores, tanto em quantidade, quanto no valor da gorjeta. Só em março, por exemplo, foram pagos 735 mil reais em gorjeta no app iFood. No Uber Eats, segundo dado divulgado na Veja São Paulo, o valor da gorjeta aumentou em 170% da primeira para a segunda quinzena do mesmo mês. 

Com esses aumentos repentinos, tanto no número de entregadores, quanto no valor e quantidade de gorjetas, é importantíssimo que essas empresas se organizem quanto ao pagamento destes profissionais.

A validação de dados bancários é importante nesse cenário

Além da automatização de pagamento dos entregadores, é importantíssima a validação de dados bancários, para garantir que o fluxo ocorra sem complicações. Com essa validação, vários transtornos gerados por dados bancários inválidos são evitados.

Agora, imagine o cenário do iFood: fazer a validação destes dados manualmente para os 23 mil novos entregadores. Além de improdutivo, isso impede que a empresa foque em seu core business. 

É aí que surge a necessidade da parceria com empresas como a WePayOut, especialista em processar pagamentos de empresas para seus funcionários, fornecedores e prestadores de serviço. 

Aqui na WePayOut, além de automatizar os pagamentos dos nossos parceiros, também trabalhamos com três níveis de validação de contas bancárias:

Validação: o número da conta enviado pelo beneficiário é avaliado e o dígito calculado e corrigido;

Sistêmico + pagamento: Realizamos um pagamento real de R$ 0,01 para que seja verificada a existência da conta;

Manual: em último caso, fazemos a análise manual dos dados bancários e do CPF que não puderam ser verificados nas etapas anteriores.

Estas etapas geram mais de 90% na taxa de conversão dos pagamentos. Além disso, o tempo de resposta dessas ações leva muito menos tempo do que utilizando análises manuais. 

O custo benefício dessa ferramenta é imensurável pois reduz drasticamente a quantidade de entregadores reclamando por pagamentos não recebidos sem contar o risco de imagem da empresa de delivery quanto a problemas no processo de pagamentos.

A importância da validação dos dados bancários se aplica igualmente, em menor ou maior escala, em todas as empresas que precisam fazer muitos pagamentos mensais ou até semanais, ou aquelas que têm um fluxo de entrada de novos beneficiários muito grande

Resumindo, esta validação gera mais pagamentos aprovados, mais satisfação do beneficiário e mais tempo para focar no que realmente importa — o seu negócio.

Agora pode ser o momento de se preparar para demandas repentinas ou adequar os processos para a retomada econômica.

Aguardamos seu contato para apresentação da ferramenta.