Pensamento inovador, uso da tecnologia para oferecer serviços financeiros que contrapõe o modelo tradicional de negócio, pode até parecer que não, mas já existem vários cases de parcerias entre fintechs e empresas tradicionais que estão dando ótimos resultados.

Para as fintechs, a vantagem é o investimento das grandes empresas. Para empresas tradicionais, como bancos, o benefício é alcançar novos públicos e entregar soluções específicas que poderiam oferecer sem a parceria com estas startups.

E sabe quem é o maior beneficiado? O próprio consumidor, que passa a ser enxergado e atendido em suas necessidades, a partir de estruturas menores e especializadas.

Separamos 5 cases de parceria entre fintechs e empresas tradicionais. Confira agora mesmo!

Leia também: Como funciona a parceria entre empresas fintech e empresas de remittance?

Banco Digital Maré, Sicoob e Caixa Econômica Federal

O Banco Digital Maré é uma fintech criada em 2016 com o objetivo inicial de atender uma região sem agências bancárias. Fica na a Zona Norte do Rio de Janeiro, conhecida como Complexo da Maré. Essa região é composta por 17 comunidades.

Mesmo sem contas bancárias, através de um aplicativo, os usuários podem comprar no comércio local, por meio da leitura de um QR Code. Também é possível pagar contas e fazer transferências.

Para levar o sistema a outras regiões do país e ajudar mais pessoas desbancarizadas, a fintech fechou parceria com o Sicoob e também com a Caixa Econômica Federal.

Lendico e CBSS e BMG

A Lendico é uma fintech de concessão de crédito digital, que tem como parceiros os bancos CBSS e o BMG. As operações da empresa começaram em 2015.

Segundo dados da própria Lendico, já foram feitos mais de 160 mil pedidos de empréstimo em seu site, totalizando cerca de R$ 220 milhões.

Superdigital e Santander

A Superdigital foi adquirida pelo Santander em 2016 e desde então expandiu sua base de clientes. Quando foi comprada, ela contava com cerca de 150 mil usuários. Em 2019, esse número já atingiu mais de 1,2 milhão de clientes.

O aplicativo desenvolvido pela Superdigital permite que o usuário faça transações bancárias como se fosse uma conversa informal em qualquer aplicativo. Através de um programa de mensalidades, é possível dividir conta entre amigos e até fazer financiamentos coletivos virtuais.

WePayOut e bancos de câmbio

A WePayOut, fintech de mass payments fundada em 2018, possui como propósito o pagamento a terceiros de forma diversificada. Atuante em um nicho de mercado de pagamentos "inbound" para o Brasil que normalmente é atendido por grandes empresas e por grandes bancos de câmbio.

Estruturamos parcerias com diversos bancos de câmbio com o propósito de agregar valor aos serviços tradicionais de câmbio nos mass payments, incluindo soluções tecnológicas como integração via API, status de pagamentos em tempo real e validação de dados bancários.

Serviços que antes não eram totalmente supridos pelos players estabelecidos e que agora agrega valor aos produtos de câmbio dos bancos e serve de forma mais qualificada as empresas estrangeiras consumidoras desses serviços.

A parceria entre fintechs e empresas tradicionais é benéfica para todos os envolvidos. A fintech busca apoio financeiro e de operações para expandir seu negócio.

Já as empresas tradicionais ganham com serviços desenvolvidos por terceiros que potencializam o reconhecimento da marca, trazendo mais clientes e potenciais investimentos.

E o usuário final é beneficiado com cada vez mais serviços que facilitam a vida no dia a dia, com soluções focadas a suas necessidades que vão desde linhas de crédito para pessoas que não podem comprovar renda, até opções de pagamento para locais que não possuem uma estrutura para isso.

Quer saber como a WePayOut desenvolveu soluções para um mercado atendido apenas por empresas tradicionais? Confira o post a seguir:

Erros e acertos que levaram nossos especialistas a formatar as soluções na WePayOut