PIX: A nova modalidade de pagamento do Banco Central do Brasil é 100% segura?

Desde 16 de novembro de 2020, o PIX, novo sistema de pagamentos do Banco Central, está funcionando, revolucionando a forma como realizamos pagamentos e transferências. Mas será que o PIX é totalmente seguro? Como ter certeza de que as contas e transferências não serão comprometidas com o novo sistema de pagamentos totalmente online e que funciona 24x7? 

Neste texto vamos conferir o que é, como funciona o PIX e qual o nível de segurança do sistema que, segundo especialistas, deve substituir formatos como TED, DOC e até mesmo os cartões de débito

O PIX 

O PIX é um sistema de pagamentos e transferências que tem como diferencial as transações em até 10 segundos, 24 horas por dia, sete dias por semana. Isso significa que, com o PIX, não há mais “horário comercial” ou “dia útil” para as transações bancárias. 

Além disso, as transferências são totalmente gratuitas entre pessoas físicas, diferente de TED e DOC, em que cada transação vinha acompanhada de uma taxa paga ao banco. Para pessoas jurídicas, pagamentos a fornecedores ocorrendo nos finais de semana e novas modalidades de prestação de serviços, como é o caso da WePayOut que oferece soluções para empresas que precisam pagar alto volume de pagamentos a terceiros. 

Como funciona 

Basicamente a pessoa cadastra um código, que é uma chave PIX, para a transferência. Ao digitar esse código, o dinheiro será transferido para a conta do beneficiário, sem a necessidade de digitar o número da conta, da agência ou informar qual é o banco. 

No caso das empresas é o mesmo princípio, com a diferença que os estabelecimentos podem cadastrar 20 chaves PIX por conta, (para pessoas físicas, são 5 por conta). Esse código de transferência pode ser seu número de celular, CNPJ ou uma outra sequência definida por você, desde que não seja repetida, para não confundir a conta de destino da transferência. 

O pagamento pode ainda ocorrer para a conta bancária caso não se tenha conhecimento se o beneficiário possui uma chave cadastrada ou não. 

As defesas contra os riscos 

É natural que um novo sistema de pagamento cause incertezas em pessoas e empresas, especialmente se tratando da segurança das transações. Entre as principais preocupações está a proteção contra criminosos que poderiam assumir a identidade do consumidor que utiliza o PIX para receber e enviar valores, ou ainda interceptar as informações dessas transações para ter dados pessoais das contas. 

Contra essa prática, o Banco Central exige que as instituições financeiras utilizem modelos de autenticação (biometria, reconhecimento facial ou código), da mesma forma que acontecia em outros meios de pagamento como TEDs e DOCs 

As próprias instituições de pagamentos criam seus sistemas de segurança voltados para a garantia de que as operações estejam ocorrendo de forma autorizada entre as partes. No caso da WePayOut, um sistema de monitoramento 24x7 foi desenvolvido com o objetivo de trazer segurança para as empresas contratantes do produto de pagamentos massivos O sistema garante que os fundos serão direcionados para o beneficiário correto, não serão processados em duplicidade entre outras funcionalidades. 

Outras medidas 

Além de ações mais simples, já praticadas em outros sistemas de pagamento, algumas medidas de segurança são adotadas exclusivamente para o PIX. Uma delas são os “motores antifraude”, operados pelas instituições financeiras que ofertam o serviço. Esses “motores” bloqueiam transações atípicas, por exemplo, com um valor acima do praticado pelo usuário. Essas transferências são bloqueadas por 30 minutos para análise (à noite, são 60 minutos). Se não se confirmarem como seguras, as transações são rejeitadas. 

O PIX possui em sua base de dados e mecanismos de proteção que impedem exclusão total das informações, além dos “marcadores de fraude”, em que a transação e o fraudador são marcados em suspeitas ou casos confirmados de fraude e é identificado por todas as instituições financeiras que participam do sistema. 

A WePayOut desenvolveu um sistema exclusivo de monitoramento dos pagamentos 24x7 que, em linha com os sistemas antifraude focados no recebimento dos recursos, este está focado no pagamento dos recursos. Esse sistema garante que pagamentos não ocorram de forma duplicada nem para beneficiários incorretos, realizando o cruzamento de checagem entre dados bancários, chave e CPF dos destinatários

Inovação e segurança 

O PIX é um modelo de pagamentos que promete tornar muito mais fácil a vida para quem paga, emite cobranças ou recebe pagamentos. Com a comodidade dos pagamentos instantâneos 24x7, o sistema deve substituir os modelos tradicionais de transações bancárias TED e DOC. 

Apesar das dúvidas que rondam o novo formato de pagamentos, o PIX oferece segurança aos usuários por meio das verificações em duas etapas, criptografia das transferências e análise de fraude. Cabe a consumidores e empresários administrar bem seus dados e as chaves PIX para garantir a segurança e facilidade das movimentações

As fintechs que oferecem serviços relacionados a produtos devem possuir sistemas de segurança próprio para garantir a. saúde das transações que rodam em seus sistemas. Todo cuidado possível em sistemas de pagamentos novos deve ser tomado. 

Quer mais artigos e novidades sobre o caminho do PIX e os impactos do sistema de pagamentos para Pessoas Físicas e Jurídicas? Cadastre-se em nossa newsletter para receber em seu email:

WePayout © 2021