As frustrações de gestores do setor financeiro com provedores de pagamentos geralmente estão atreladas à falta de adaptação do produto às necessidades do negócio e a avanços tecnológicos do setor.

Em paralelo, nas empresas em que todo o processo de pagamentos é feito internamente, a maior dificuldade está na constante busca por melhorias nos processos, que geralmente são manuais e tomam tempo que poderia ser melhor aproveitado. O que deveria ser simples e automatizado é complexo e manual. A internalização, estabelecida para reduzir custo, gera ônus.

É possível encontrar muitos termos novos quando percebemos as constantes transformações pelas quais o mercado financeiro está passando. Entretanto, as diretrizes continuam sendo as mesmas de sempre: o usuário quer ter facilidade e segurança para realizar suas transações.

Fica claro que os dois itens acima são essenciais para uma boa experiência no uso de algum provedor de pagamentos. Segurança e facilidade nos processos de pagamento são características que permitirão o foco em conquistar novos clientes, ampliar a presença geográfica da empresa e, além disso, aumentar ganhos.

Além disso, outro ponto delicado é que, como a tecnologia está se desenvolvendo, a tendência é o barateamento das funcionalidades. Afinal, o objetivo é eliminar etapas desnecessárias, melhorar o tempo de entrega e, principalmente, reduzir custos para todos os envolvidos.

Essas características parecem tarefa simples e óbvias em um provedor de pagamentos, mas é bem fácil se frustrar. Para encontrar um provedor de pagamentos que efetivamente ofereça soluções que permitam maior dinamismo nos processos, é necessário considerar o know-how e a capacidade de adaptação a diferentes realidades e tipos de empresa. Considere estes quatro itens na hora de contratar ou trocar seu provedor de pagamentos:

1 - Segurança

Por mais que uma interface clean e desenvolvida cumprindo-se todas as regras de um bom design de produto, sem segurança, seu provedor de pagamentos cai por terra. No caso da WePayOut, existe o estabelecimento da autenticação em dois fatores, criando mais uma barreira de segurança para acessar o dashboard de pagamentos.

A segurança deve ser elevada a outro nível quando se trata de pagamentos com gestão de fundos de terceiros. Na WePayOut, portanto, foram desenvolvidas funcionalidades sistêmicas e humanas que evitam pagamentos duplicados antes e durante o processamento dos pagamentos.

Leia também: Entenda como grandes empresas fintech garantem os fundos dos clientes

2 - Relatórios

Um ponto importante para as empresas que terceirizam o processo de pagamentos a terceiros é escolher a escolha de uma plataforma que disponibilize relatórios organizados e completos, indicando tendências nos pagamentos, proporcionando análise detalhada dos processos e status. Os relatórios devem ser de fácil visualização, orientado à necessidade do cliente. Além disso, apresentar informação atualizada ou em tempo real é o mais importante, como é o caso da WePayOut.  

3 - Processos simplificados

Estamos falando em pagamentos descomplicados. Para que a contratação de um provedor ou a troca de provedor ocorra, deve existir simplificação de processos. O provedor deve oferecer uma solução que automatize o processo e evite ações repetitivas, que elimine processos manuais, que reduza capacidade humana envolvida e que traga comodidade para aquele que o contrata. É preciso descomplicar. 

4 - Possibilitar pagamentos de forma diversificada

Não adianta organizar todos os pagamentos e não atender àqueles beneficiários que não possuem conta bancária ou que pretendem receber seus pagamentos de formas distintas de uma transferência bancária, considerando que um em cada três brasileiros encontra-se nessa situação. É essencial, então, viabilizar o pagamento dessas pessoas.

Um dos maiores propósitos da WePayOut é o de oferecer formas diversificadas das empresas pagarem seus beneficiários finais. Muitas empresas possuem dificuldade na coleta dos dados bancários, e existem casos em que os clientes preferem não receber nas contas bancários (ou não as possuem). Na WePayOut, quem escolhe como o beneficiário vai receber os pagamentos é o cliente e não o provedor.

Como vimos, existem fatores-chave que determinam um bom provedor de pagamentos. É claro, portanto, que estes são quatro de inúmeros elementos que são decisivos para a escolha de um bom prestador de serviços..

Contudo, entenda que os pontos apresentados acima são alguns dos mais sensíveis aos clientes. Portanto, para te ajudar a entender mais sobre outros itens importantes, separamos cinco conteúdos:

 - Este aqui, com dicas para otimizar seu sistema de pagamentos a terceiros;

- Um post que aborda os erros mais comuns nessa modalidade de pagamentos;

- E algumas soluções para o pagamento de desbancarizados.

Quer receber mais conteúdos como esse e não perder nenhuma novidade da WePayOut? Então, cadastre-se em nossa newsletter: